«

»

jan 07

CURSO DE DIREITO REALIZOU SEU I ENCONTRO TÉCNICO CIENTÍFICO

Diretora Geral
Profª. Dra. Maria de Fátima Viegas Josgrilbert

Coordenadora do Curso de Direito
Profa. Ma. Lysian Carolina Valdes

COORDENAÇÃO GERAL
Profa. Ma. Lysian Carolina Valdes

SECRETÁRIA DO EVENTO
Juliana Romero

COMISSÃO TÉCNICA-CIENTÍFICA
Profa. Dra. Maria de Fátima Viegas Josgrilbert
Prof. Dr. Flávio Macedo Alves
Prof. Me. Sebastião Gabriel Chaves Maia
Profa. Ma. Lysian Carolina Valdes

 

A Produção Acadêmica no Curso de Direito

 Maria de Fatima Viegas Josgrilbert

Ser Fênix ou interdisciplinar é permitir-se a transmutação, é ver na história a possibilidade de recriação.

Ivani Fazenda

 

É com prazer que neste momento estamos criando os Anais do I Encontro Técnico Científico do Curso de Direito das Faculdades Integradas de Ponta Porã (FIP-Magsul), que apresentam as primeiras produções dos seus docentes. Assim, começamos um novo ciclo, oferecendo um espaço para que os professores e acadêmicos publiquem suas produções.

No  ano  de  2011,  ao  assumirmos  a  responsabilidade  de  administrar?coordenar  este

Curso de Direito, assumimos também o compromisso de reestruturá-lo para superar os baixos resultados provenientes das avalições externas, sabendo que toda forma de reconstrução exige um projeto bem estruturado, bem definido, mas que não desconsidera a história já vivida.

O começo desta tarefa foi o estudo dos documentos existentes: projetos; propostas saneadoras dos problemas detectados; avalições internas e externas para a definição das possíveis falhas e acertos. Descobrindo-se as fragilidades existentes, esboçou-se a possibilidade de se traçar o caminho da superação!

Partindo-se de conclusões delineadas pela Comissão Própria de Avaliação (CPA), que pesquisou toda comunidade acadêmica, foi possível conhecer as expectativas dos docentes, discentes e colaboradores que continuaram na instituição. Com uma imagem mais concreta do cotidiano, definiu-se que deveria ser efetivada uma mudança profunda no currículo acadêmico do curso, que apresentava uma matriz curricular pobre, professores que não participavam da sua construção e que não falavam a mesma linguagem, pois não interagiam.

Mudar o currículo significa mudar toda a estruturação do mesmo, considerando-se aspectos antropológicos, filosóficos e sociológicos, pois mudar é um movimento próprio do homem, do conhecimento e da realidade. Mudou-se então, o projeto do curso e a forma de se conduzir o processo ensino?aprendizagem.

O Projeto Pedagógico do Curso de Direito foi construído com base em uma metodologia transdisciplinar. Para se conseguir este objetivo foi construída uma pergunta

norteadora que deve ser respondida por todas as disciplinas da matriz curricular. Nos oito primeiros semestres do curso foi colocada uma disciplina denominada Projeto de Pesquisa

Interdisciplinar que tem como objetivo promover a inter?transdisciplinaridade ao longo de todo curso. Outro objetivo desta disciplina é desenvolver a leitura e a escrita dos acadêmicos, levando-os, desde o início do curso, à construção de textos que vão ganhando consistência conforme os acadêmicos vão adquirindo os conhecimentos das disciplinas.

Para tanto, foi necessária a melhoria da titulação e a capacitação dos professores para se conseguir uma forma de integração docente que busca uma educação de qualidade.

Algo ainda faltava para a melhoria do curso: ampliação da produção acadêmica. Os professores precisavam de um incentivo! Acredito que a criação desta publicação periódica, própria do curso, permite demonstrar o pensamento e a postura acadêmica de cada um de seus membros.

Logo, a faculdade precisa ter um espaço próprio para que os acadêmicos sejam motivados a mostrarem seus trabalhos, tomando gosto pela produção científica. O mesmo acontecendo com os professores.

Na abertura deste texto, foi colocado um pensamento de Ivani Fazenda, sobre ?A Fênix?, uma metáfora que reflete este novo Curso de Direito, uma vez que suas equipes administrativa e pedagógica acreditam que poderão superar as deficiências encontradas, para transformá-lo em um curso com índices melhores de avaliação, motivo de orgulho e referência local e regional, uma vez que ele é de suma importância para o desenvolvimento da região. Considerando-se que: ?Ser Fênix significa ver na morte a vida, ver na história a recriação, ver nessa forma que não é nova (já que habitava a Grécia) o prenúncio da alteridade, (…)?. Ivani

Fazenda.

Se vamos conseguir, só o tempo e sua história dirão!

Referências

FAZENDA, Ivani. Interdisciplinaridade: história, teoria e pesquisa. 15. ed. Campinas, SP, Papirus, 2008. p. 43